Você está aqui

Coalizão Brasil quer economia de baixo carbono e apresenta propostas para COP21

(SÃO PAULO, 25 de JUNHO 2015) Foi lançada em São Paulo na quarta-feira, 24 de junho, a Coalizão Brasil Clima, Florestas e Agricultura, movimento multissetorial que pretende propor e promover políticas públicas para o estímulo à agricultura, pecuária e economia florestal que impulsionem o Brasil como protagonista na liderança global da economia sustentável e de baixo carbono, gerando prosperidade, com inclusão social, geração de emprego e renda. O WRI Brasil contribuiu na concepção e é signatário da Coalizão.

No evento foi divulgado um documento, que apresenta propostas de políticas e ações efetivas como base para a troca de ideias e sugestões, num amplo debate que deve culminar na estruturação da posição do Brasil na COP21.

Formada por diversas associações empresariais, empresas, organizações da sociedade civil e indivíduos, a Coalizão se caracteriza pela representatividade dos participantes, que reúnem notório conhecimento e competência para debater, num cenário de alta complexidade, as tendências e caminhos rumo a uma economia próspera, alinhada às demandas socioambientais.

Mais de 50 entidades participaram desde dezembro de 2014 das reuniões que deram origem à Coalizão. (http://www.coalizaobr.com.br/index.php/participantes). Estarão presentes no evento diversas lideranças que integram a Coalizão Brasil, entre elas:

  • Marina Grossi, presidente do CEBDS – Conselho Empresarial Brasileiro para o Desenvolvimento Sustentável;
  • Celina Carpi, presidente do Conselho Deliberativo do Instituto Ethos;
  • Carlos Rittl, secretário-executivo do Observatório do Clima;
  • Miriam Prochnow, coordenadora do Diálogo Florestal;
  • Guilherme Leal, copresidente do Conselho de Administração da Natura;
  • Gustavo Junqueira, presidente da SRB – Sociedade Rural Brasileira;
  • José Luciano Penido, presidente do Conselho de Administração da Fibria;
  • Luis Roberto Pogetti, presidente do Conselho Deliberativo da Unica – União da Indústria de Cana-de-Açúcar;
  • Elizabeth de Carvalhaes, presidente executiva da Ibá – Indústria Brasileira de Árvores;
  • Rachel Biderman, diretora do WRI – World Resources Institute;
  • Ricardo Guimarães, presidente da Thymus Branding;
  • Roberto S. Waack, presidente do conselho da Amata.

Contact

Fique Conectado

Receba nossa newsletter

Receba os últimos comentários, eventos, publicações e recursos multimídia.