O setor da mobilidade urbana que mais cresce hoje é o da Nova Mobilidade: aplicativos para smartphone e modelos de economia compartilhada possibilitam novas formas de se deslocar pelas cidades e, sobretudo os aplicativos de serviços de viagem sob demanda (ride hailing), geram impactos na mobilidade que ainda precisam ser mais bem conhecidos. Em diversas partes do mundo, cada vez mais os veículos elétricos ganham as ruas, enquanto empresas testam os veículos autônomos.

Diante desse cenário, o WRI Brasil trabalha em duas frentes: a de fomento ao ecossistema de inovações em mobilidade, através da realização de Desafios, a fim de apoiar soluções inovadoras e sustentáveis; e no desenvolvimento de pesquisas, para entender os impactos que esses serviços geram sobre a mobilidade das cidades, de forma a subsidiar a elaboração de regulamentações por parte do poder público.

Desafio de Inovações em Mobilidade

Com o intuito de fomentar o ecossistema de Nova Mobilidade no país, a Toyota Mobility Foundation e o WRI Brasil, em parceria com a Frente Nacional de Prefeitos, realizaram em 2018 o Desafio InoveMob. O foco desse Desafio foi selecionar projetos que melhorassem a mobilidade em áreas com intensa movimentação de pessoas (centros de atividades).

Cerca de 100 projetos foram inscritos por startups, pesquisadores e outros players. Após workshops de capacitação e uma apresentação para prefeitoscinco finalistas foram escolhidos para implementar seus projetos piloto em cidades brasileiras durante seis meses. No final do ano, o bynd – Caronas Corporativas foi anunciado como o Grande Vencedor, após obter resultados positivos com a implementação no Ministério das Cidades e na Prefeitura de Juiz de Fora. As outras finalistas do Desafio foram BikxiCarona a PéNina e OnBoard Mobility.

O WRI também já realizou desafios na Índia, como o STAMP e o Better Bus.

Análise de impactos na mobilidade

Em um cenário de mudanças e inovações constantes, é importante avaliar os impactos dos aplicativos e serviços da Nova Mobilidade.

Se, por um lado, podem gerar impactos negativos (como a queda de passageiros no transporte coletivo ou a redução da quantidade de pessoas que se deslocam a pé e de bicicleta), por outro, é preciso levar em consideração também o potencial de impactos positivos desses serviços a partir da integração com os meios de transporte tradicionais.

O WRI Brasil trabalha em parceria com atores capazes de fomentar mudanças de paradigma no transporte urbano no Brasil e junto ao time de mobilidade dos demais escritórios do WRI para analisar o impacto das soluções de Nova Mobilidade, medir o quão sustentáveis elas de fato são e que papel terão nas cidades. Assim, busca fomentar a elaboração de regulamentações mais assertivas que integrem a inovação aos sistemas de transporte atual das cidades.

Regulamentações

O crescimento da Nova Mobilidade tem levado diversas cidades a formular regulamentações para esses novos serviços, dados os diversos impactos que eles geram sobre a mobilidade nas cidades.

Em parceria com os escritórios do WRI na China, na Índia e no México, o WRI Brasil mapeou regulamentações para cidades com mais de 500 mil habitantes nesses países e criou um banco de dados com as principais informações. As regulamentações estão divididas em categorias como taxação, requisitos dos veículos, requisitos dos motoristas, requisitos do serviço e compartilhamento de dados, entre outras.