Você está aqui

Se o seu carro está preso no congestionamento, a culpa não é dos aplicativos

Este artigo foi escrito por Robin Chase, membro do Conselho Diretor do WRI, e publicado originalmente no CityLab. Ela reflete sobre a realidade dos Estados Unidos, onde cerca de 2/3 dos deslocamentos são feitos em veículos privados.


As ruas da cidade são um recurso escasso e podem ficar muito congestionadas. Durante os horários de pico, queremos mover o maior número de pessoas por essas vias com a maior eficiência possível. Nisso, acho que todos concordamos.

Mas algumas pessoas querem colocar a culpa pelo congestionamento do tráfego urbano na crescente popularidade de serviços por aplicativo, como o Uber e o Lyft, e um recente relatório do consultor de transportes Bruce Schaller dá suporte a essa ideia: a análise de Schaller mostra que, nos últimos seis anos, os serviços de compartilhamento de viagens adicionaram 5,7 bilhões de milhas rodadas por veículos e aumentaram as viagens em 241% em nove grandes cidades dos EUA.

Isso realmente parece ser muito! Mas o enfoque de Schaller nos remete ao erro. As cidades estão congestionadas e o trânsito tem sido mal utilizado há anos, antes de essas empresas se estabelecerem. De acordo com a pesquisa deste ano da Federal Highway Administration, dos EUA, em áreas urbanas que também possuem transporte sobre trilhos (isto é, provavelmente incluindo as nove cidades citadas), táxis e carros de serviços por aplicativo correspondem a 1,7% das milhas percorridas, enquanto as milhas rodadas em carros particulares são responsáveis por 86%.

Continue lendo no CityLab: "Se o seu carro está preso no congestionamento, a culpa não é dos aplicativos" (em inglês).

ShareThis Button: 

Share

Comentar

Fique Conectado

Receba nossa newsletter

Receba os últimos comentários, eventos, publicações e recursos multimídia.