Você está aqui

Maiores resultados do WRI em 2013

Conforme 2013 chega ao fim, é um bom momento para analisar o impacto que causamos no mundo neste ano. O WRI gera soluções baseadas em pesquisa que possam sustentar os recursos naturais - a fundação do bem-estar humano e da oportunidade econômica. Nós medimos o nosso sucesso a partir de mudanças positivas e práticas.

Neste ano, progredimos ao lidar com desafios-chave de sustentabilidade, incluindo a luta contra as mudanças climáticas, promover a energia limpa, garantir a segurança dos alimentos e fontes de água estáveis, reduzindo a degradação florestal e criando cidades sustentáveis. Confira nossos nove maiores resultados:

1) "Plano de Quatro Pontos" informa o Plano Americano de Ação Climática do presidente Obama

O presidente Obama anunciou o Plano de Ação Climática para lidar com a mudança climática e colocar os Estados Unidos em uma trajetória para cumprir o seu compromisso internacional de reduzir suas emissões em 17% até 2020. As descobertas do relatório emblemático do WRI, Os EUA podem chegar lá?, tiveram um papel valioso ao influenciar a decisão da administração. Saiba mais.

2) Governos responsabilizam empresas por incêndios florestais com dados em tempo real e comunicação com a mídia

Os incêndios florestais excessivos na Indonésia no verão de 2013 espalharam uma fumaça tóxica pelo Sudoeste da Ásia. Os governos e as ONGs estão utilizando os dados e as análises do WRI para responsabilizar as empresas de óleo de palma e madeira pelos danos florestais e pelos incêndios nas turfas. Saiba mais.

3) UNEP e União Africana melhoram as políticas internacionais e regionais de transparência

Leis que garantem o acesso às informações fornecem aos cidadãos o direito de ter acesso a fatos e dados cruciais, incluindo aqueles sobre os recursos naturais que são vitais para a sobrevivência. Essas leis de transparência são o elemento central de uma boa governança. A Iniciativa de Acesso (TAI) influenciou uma lei de acesso à informação modelo da União Africana, bem como uma nova política de acesso à informação do Programa Ambiental das Nações Unidas (UNEP). Saiba mais.

4) China adota política para promover a demonstração de captura e armazenamento de carbono

O principal órgão de decisões políticas da China, a Comissão de Reforma do Desenvolvimento Nacional (NDRC), adotou uma política inovadora este ano para limitar as emissões de CO2 das usinas de energia movidas a carvão. A política - que promove a demonstração da captura de dióxido de carbono, armazenamento e utilização - é a primeira do gênero em todos os países e reflete as Diretrizes para a Captura e o Armazenamento de Carbono (CCS), desenvolvidas em parceria com a Universidade de Tsinghua, China. Saiba mais.

5) México implanta a primeira norma da América Latina de eficiência de combustível para veículos leves

O México deu um grande passo em direção a uma economia de baixo carbono e melhor saúde pública com a implementação de uma nova norma de eficiência de combustível para veículos leves - a primeira da América Latina. A EMBARQ México teve um papel fundamental no desenvolvimento dessa nova norma, escrevendo o rascunho do regulamento, propondo mecanismos para a flexibilidade econômica e auxiliando o governo do México durante o processo de negociação. Saiba mais.

6) Grandes empresas, fundos e bancos passam a ter uma melhor gestão de água por meio do Atlas de Riscos

Três grandes instituições financeiras e duas das maiores empresas de alimentos e bebidas estão melhorando a gestão da água utilizando dados do Atlas de Risco do Aqueduct, ferramenta desenvolvida pelo WRI. A lista inclui: Anheuser-Busch InBev, Nestlé, LGIM, um dos maiores bancos do mundo e um dos maiores administradores de fundo de pensão do mundo. Saiba mais.

7) Gana garante $50 milhões para o Plano de Investimento Florestal, baseado em análise de restauração

O Banco Mundial aprovou o Plano de Investimento Florestal de Gana, com um pacote de $50 milhões que pode restaurar florestas, melhorar o fornecimento de água do país e permitir uma melhor qualidade de vida para as comunidades. Uma análise da União Internacional pela Conservação da Natureza, do Centro de Serviços de Detecção Remota e Informação Geográfica, do WRI e de outros parceiros foi crucial para fazer esse programa inovador funcionar. Saiba mais.

8) 160 cidades adotam sistemas BRT

O BRT - sistema de transporte coletivo por ônibus de alta qualidade - pode reduzir o tempo de deslocament e as emissões de gases do efeito estufa, além de melhorar a qualidade de vida geral dos passageiros. Atualmente, 160 cidades ao redor do mundo possuem sistemas BRT e corredores dedicados ao ônibus - número mais de três vezes acima das 45 cidades que adotavam o sistema quando o programa EMBARQ , do WRI, foi fundado em 2002. A EMBARQ teve um papel muito importante na expansão do conceito BRT para cidades ao redor do mundo. Saiba mais.

9) 60 cidades e comunidades utilizam a nova norma para medir e reduzir emissões de gases do efeito estufa

Ao menos 60 cidades e comunidades ao redor do mundo adotaram o Protocolo Global para Emissões de GEE em Escala Comunitária (GPC). Essa norma internacional para mensurar emissões de gases do efeito estufa (GEE) em cidades foi desenvolvida conjuntamente pelo WRI, o Grupo de Liderança Climática para Cidades C40 (C40) e o Conselho Internacional para Iniciativas Ambientais Locais (ICLEI). Saiba mais.

, , , , , ,
ShareThis Button: 

Share

Comentar

Fique Conectado

Receba nossa newsletter

Receba os últimos comentários, eventos, publicações e recursos multimídia.