Você está aqui

Setor privado na América Latina contribui com conservação e restauração de 22,6 mi de hectares através da Iniciativa 20x20

PRESS RELEASE: A Iniciativa 20x20 reportou nesta quinta-feira (18) que parceiros da iniciativa privada, de governos nacionais e governos subnacionais da América Latina conservaram e restauram cerca de 22,6 milhões de hectares de florestas e paisagens no continente, por meio de 135 projetos.

Os dados foram apresentados na reunião anual da Iniciativa 20x20, que está ocorrendo de forma virtual nessa semana e conta com a participação de ministros do Meio Ambiente e da Agricultura de diversos países latino-americanos, governos subnacionais, empresas e organizações da sociedade civil.

Além das áreas conservadas e restauradas, a Iniciativa 20x20 também informou que 24 investidores e parceiros financeiros têm disponíveis um total de US$ 2,5 bilhões para investir em conservação, restauração de paisagens e florestas, silvicultura com espécies nativas, sistemas agroflorestais, restauração de pastagens e agricultura de baixo carbono em todo o continente.

A Iniciativa 20x20 é um esforço de países da América Latina para restaurar e conservar florestas no continente. Lançado em Lima, no Peru, em 2014, ela hoje inclui compromissos de 17 países para restaurar 50 milhões de hectares no continente até 2030 - uma área do tamanho do território da Espanha.

“Os dados da Iniciativa 20x20 mostram que já temos projetos de restauração e reflorestamento de boa qualidade no Brasil e na América Latina”, diz Miguel Calmon, consultor sênior de Florestas do WRI Brasil. “Eles mostram o potencial da iniciativa privada na ação climática, e também como soluções baseadas na natureza fazem cada vez mais parte do mundo dos negócios”.

Brasil na Iniciativa 20x20

Dos números reportados hoje, há 9 projetos liderados pela iniciativa privada no Brasil, totalizando cerca de 450 mil hectares. São projetos de desmatamento evitado, agricultura sustentável, restauração, reflorestamento e silvicultura com espécies nativas.

Entre os projetos dos parceiros do setor privado está a Futuro Florestal, empresa que produz madeira de reflorestamento com nativas de alto valor agregado em plantios mistos e homogêneos, junto com projetos de sistemas agroflorestais envolvendo café, cacau e açaí. A empresa maneja diretamente o reflorestamento de 500 hectares e apoia a restauração de outros 4.500 hectares no interior de São Paulo.

“A Futuro Florestal trabalha com restauração de florestas com foco ecológico e econômico, fomentando, apoiando e trabalhando ativamente no campo, seja produzindo mudas nativas, criando modelos de restauração que tragam retorno econômico aos produtores rurais, como também conectando iniciativas que são importantes e necessárias para que o Brasil possa cumprir suas metas de restauração”, diz Rodrigo Ciriello, diretor comercial da empresa. “Restaurar ecossistemas para equilibrar nossa contribuição ao planeta é também uma forma de nos reconectarmos com a natureza e garantirmos algum futuro para as próximas gerações”, afirma.

Também há comprometimentos importantes de agricultura de baixo carbono e dos governos estaduais de Espírito Santo, Mato Grosso e São Paulo. Um caso de sucesso é o Programa Reflorestar, do estado do Espírito Santo. O programa apoia produtores rurais que desejam plantar florestas, principalmente os projetos que conciliam a conservação do solo, da água e da biodiversidade, com a geração de renda a partir do estímulo ao plantio de sistemas agroflorestais e de espécies nativas que possam ser manejadas no médio e no longo prazo.

Segundo Marcos Sossai, da Secretaria Estadual de Meio Ambiente do Espírito Santo, com cerca de 10 mil hectares já implementando e outros 12 mil hectares que deverão ter a restauração iniciada nos próximos seis anos, o programa Reflorestar terá a oportunidade de levar fonte de renda e de desenvolvimento para diversas regiões do Estado, criando também oportunidade para investimentos externos, na medida em que parte dessas áreas podem ser restauradas conciliando a conservação com a geração de renda, como em plantios que permitam o manejo sustentável de madeira de espécies nativas. “A restauração florestal deve ser tratada como prioridade pelos governos estaduais pois, se conduzida com a devida estratégia, pode trazer benefícios múltiplos para a sociedade”, afirma.

América Latina e a Década da Restauração

Além dos trabalhos do Espírito Santo e da Futuro Florestal, há projetos como o de desmatamento evitado no Pantanal, o da promoção da silvicultura de espécies nativas na Bahia, investimento em pecuária sustentável, entre outros.

O engajamento dos países, governos subnacionais e empresas latino-americanos é crucial para a ação climática, especialmente neste ano que a ONU declarou como o início da Década da Restauração de Ecossistemas (2021-2030). “Na América Latina, 58% das emissões de gases de efeito estufa são provenientes de agricultura, florestas e uso da terra”, diz Walter Vergara, coordenador da Iniciativa 20x20. “Restaurar paisagens durante a Década da Restauração representa um caminho de baixo custo para que o continente atinja a neutralidade de carbono até o meio do século”.

Sobre a Iniciativa 20x20

A Iniciativa 20x20 é um esforço liderado pelos países para proteger e começar a restaurar 50 milhões de hectares de paisagens e florestas na América Latina e no Caribe para 2030. Os governos, investidores de impacto e parceiros técnicos lançaram a iniciativa em 2014, durante a COP 20 em Lima, Peru, com o compromisso de começar a restaurar 20 milhões de hectares de terras degradadas até 2020. Agora, os países-membros e parceiros estão trabalhando para fazer com que a região seja neutra em carbono até 2050 protegendo e revitalizando 250 milhões de hectares de paisagens para as pessoas, clima e biodiversidade.

Sobre o WRI Brasil

O WRI Brasil é um instituto de pesquisa que transforma grandes ideias em ações para promover a proteção do meio ambiente, oportunidades econômicas e bem-estar humano. Atua no desenvolvimento de estudos e implementação de soluções sustentáveis em clima, florestas e cidades. Alia excelência técnica à articulação política e trabalha em parceria com governos, empresas, academia e sociedade civil.

O WRI Brasil faz parte do World Resources Institute (WRI), instituição global de pesquisa com atuação em mais de 60 países. O WRI conta com o conhecimento de aproximadamente 1000 profissionais em escritórios no Brasil, China, Estados Unidos, Europa, México, Índia, Indonésia e África.

Contact

Fique Conectado

Receba nossa newsletter

Receba os últimos comentários, eventos, publicações e recursos multimídia.