Você está aqui

Finalista do InoveMob, bynd busca melhorar a eficiência do uso do carro

A cultura carrocêntrica na qual a maior parte dos países estão inseridos faz com que as pessoas não vivenciem ou percebam detalhes da cidade. Um deles é a própria noção de quanto espaço o carro ocupa no cenário urbano. E muitas vezes ocupa para transportar apenas uma pessoa. O futuro da mobilidade vai depender de soluções que resolvam dissonâncias como essa. O bynd, finalista do Desafio InoveMob, se inspirou no princípio do compartilhamento de espaço para promover o melhor uso do carro como modal individual através da popular carona.

Garantir o bom deslocamento diário casa-trabalho-casa pode influenciar diretamente na qualidade de vida e na produtividade das pessoas. Estima-se que a cada ano o brasileiro perca, em média, o equivalente a 15 dias nos seus trajetos ao trabalho. Para mudar essa estatística e buscar a mobilidade sustentável, ações voltadas ao transporte no âmbito corporativo são cada vez mais importantes.

Quando o transporte coletivo ou as opções de transporte ativo não são viáveis ou atrativas, o carro pode ganhar um uso mais sustentável se transportar mais pessoas e, consequentemente, diminuir o número de veículos nas ruas. O bynd é um aplicativo que facilita as caronas corporativas seguras realizadas entre funcionários de um mesmo órgão, empresa ou instituição.

Desde 2015 em operação, este ano o bynd entrou no Desafio InoveMob com o objetivo de atender um novo segmento, o do setor público. Com atuação em diversas organizações privadas, a startup de São Paulo ganhou a experiência do contato com prefeituras através do concurso. “Partimos do zero, de não ter nenhum contato, nenhum contexto de como aplicar a nossa solução de tecnologia dentro do segmento do setor público. O InoveMob foi desde o início uma oportunidade de mudarmos um pouco o foco”, conta Gustavo Gracitelli, CEO do bynd.

Há seis meses em contato com o InoveMob, o bynd hoje é um dos cinco finalistas do Desafio e recebeu US$ 20 mil para implementar o projeto-piloto em uma cidade brasileira. “Acompanhar todo o fluxo do InoveMob foi interessante porque fomos capacitados para falar com o setor público. Tivemos dois workshops que nos fizeram entender um pouco mais do segmento. Participamos do evento da Frente Nacional de Prefeitos, onde estavam vários prefeitos das maiores cidades do Brasil e pudemos apresentar a nossa iniciativa para eles. Tudo isso foi muito rico porque começamos a ter mais repertório, mais referências, e nos sentimos mais prontos para atender novos órgãos do setor público”, diz.

O recurso obtido com o Desafio foi utilizado para aprimorar ainda mais a tecnologia do aplicativo em termos de engajamento e usabilidade. A execução do projeto-piloto, que configura a quarta etapa do Desafio, está sendo aplicado pelo bynd em duas cidades. Uma delas é Brasília, onde a solução foi adotada pelo Ministério das Cidades. O aplicativo foi inserido no projeto Mobilidade ao Redor, que busca promover ações de incentivo ao transporte mais sustentável dos servidores da autarquia. Uma delas é o programa Vou de Carona, que estimula a carona entre os servidores. "O projeto Mobilidade ao Redor nos leva a desenvolver ações para mostrar aos diversos gestores que nos visitam que existem muitas possibilidades de transporte. Que aquilo que nós pensamos como mobilidade sustentável pode ser aplicado com ações relativamente simples", afirma o Secretário Nacional da Secretaria Nacional de Mobilidade Urbana (SEMOB/Ministério das Cidades), Inácio Bento de Morais Junior.

<p>Brasília e carros</p>

Brasília é uma das cidades escolhidas para implementar o projeto-piloto do bynd (Foto: Joana Oliveira/WRI Brasil)

“Na SEMOB temos como objetivo desenvolver uma política do uso equitativo do espaço público, das vias públicas. Temos trabalhado muito na discussão desse uso excessivo do automóvel e como incentivar outras formas de transporte”, completa Gláucia Maia de Oliveira, analista de Infraestrutura da SEMOB.

A iniciativa também ganhou a adesão do prédio ao lado do Ministério das Cidades, onde opera a empresa pública VALEC Engenharia, Construções e Ferrovias S.A. “Temos um problema muito sério de superlotação do estacionamento aqui no setor de autarquias. Compramos a ideia do projeto imediatamente porque o consideramos extremamente viável. Se conseguirmos tirar dois ou três carros das ruas já estaremos beneficiando nossos servidores”, ressalta Ana Márcia Caichiolo, gerente da Assessoria de Comunicação da VALEC.

A experiência da carona

Motoristas e caroneiros também se dizem muito satisfeitos com a prática. Ao usar o bynd e aderir ao programa Vou de Carona, os motoristas podem garantir vaga de estacionamento reservadas e ganham pontos no programa de recompensas. Além disso, os benefícios sociais são sempre lembrados. Orandir Teixeira Luz, analista de Infraestrutura da SEMOB, que diz ter a carona no DNA devido ao uso frequente de caronas em viagens na adolescência, se mostra muito satisfeito em poder ir de carona diariamente ao trabalho. “Apesar de eu ter outras opções para vir trabalhar, como a bicicleta e o transporte coletivo, acho que a bynd propicia conhecer outras pessoas. Isso é muito enriquecedor.” Lucia Gonçalves Pedrozo, assessora de Gabinete da SEMOB, com quem Orandir costuma pegar a carona, afirma que antes ia e voltava sozinha no carro, mas atualmente acha as viagens compartilhadas muito mais agradáveis.

Isabela Oliveira Pereira, analista de Infraestrutura da SEMOB, dá carona a Kaique Pereira, técnico de Tecnologia da Informação da VALEC, que economiza cerca de 30 minutos por deslocamento ao ir para o trabalho com ela. "Quando o Ministério incentiva esse tipo de iniciativa, ele está promovendo uma mobilidade corporativa mais sustentável. A gente ganha com a interação entre os colegas e consegue reduzir as emissões de poluentes", lembra Isabela.

“Falamos muito em integração de políticas setoriais das políticas urbanas. Mas no dia a dia do Ministério trabalhamos de forma muito setorizada. Não se consegue construir cidades falando em setores de política urbana. Quando você começa a colocar as pessoas em contato, pessoas que trabalham com diferentes áreas, você começa a abrir portas para discutir projetos integrados”, exalta Glaucia.

Através do Desafio InoveMob, o bynd passou a atuar também na prefeitura de Juiz de Fora. “O Desafio fez com que a gente ganhasse escala. Agora o céu é o limite. Para outras prefeituras espalhadas pelo Brasil que eventualmente tenham interesse, hoje sabemos que conseguimos atender”, celebra Gustavo.

A escolha do bynd como um dos cinco finalistas seguiu critérios de capacidade interna, relevância, impacto, escala, inovação, viabilidade e sustentabilidade. O vencedor do Desafio InoveMob vai ser conhecido no dia 5 de dezembro e receberá US$ 100 mil para dar escala ao seu projeto.

O Desafio InoveMob é promovido pela Toyota Mobility Foundation e pelo WRI Brasil em parceria com a Frente Nacional de Prefeitos (FNP).

ShareThis Button: 

Share

Fique Conectado

Receba Nossa Newsletter

Receba os últimos comentários, eventos, publicações e recursos multimídia.