Você está aqui

WRI Explica: Como funciona o monitoramento por satélite do desmatamento da Amazônia

De tempos em tempos, governos, agências ou ONGs divulgam dados mostrando a situação do uso da terra no Brasil ou no mundo. São dados que permitem identificar aumento ou queda nas taxas de desmatamento na Amazônia, no Cerrado, ou os focos de incêndio e queimadas.

Esses dados são produzidos graças a sistema de alta tecnologia que envolve o monitoramento do planeta por satélites, a análise de imagens por especialistas e até o uso de algoritmos para interpretar como alterações em imagens feitas do espaço podem identificar desmatamento.

É essa tecnologia que permite que o Instituto Nacional de Pesquisa Espacial (Inpe), por meio do programa Prodes, divulgue os dados oficiais do desmatamento todos os anos, e projetos como Global Forest Watch e MapBiomas façam análises sobre o tema.

Em mais um vídeo da série WRI Explica, apresentamos em vídeo como funciona esse monitoramento por satélite. Confira abaixo:


Os satélites também podem ser grandes aliados para o monitoramento da restauração florestal.

O monitoramento é fundamental para que seja possível comunicar e reportar os resultados da restauração. Além disso, é essencial para garantir que produtores e pessoas no campo sejam reconhecidos pelo importante trabalho que fazem em prol da sustentabilidade no Brasil.

Saiba mais sobre os projetos do WRI Brasil para o monitoramento da restauração florestal.

ShareThis Button: 

Share

Comentar

Fique Conectado

Receba nossa newsletter

Receba os últimos comentários, eventos, publicações e recursos multimídia.